quinta-feira, 7 de Abril de 2011

A importância da Anamnese (Ficha clínica)


Já algumas vezes que aqui falo da Anamnese... mas nem todos sabem do que se trata. Por isso cá vai uma breve explicação:

A Anamnese é um documento confidencial essencial que precede qualquer terapia manual. É através dela que o terapeuta conhece o historial clínico do seu paciente/cliente e estabelece qual a terapia que melhor se adequa às suas necessidades específicas.
O preenchimento desta ficha clínica é uma regra de ouro que nunca deve ser descurada, correndo-se o risco de efectuar tratamentos prejudiciais caso isso aconteça.
Após a análise da Anamnese o terapeuta pode, e deve, dependendo dos casos, encaminhar o paciente para outro profissional de saúde mais competente.

O conteúdo da Anamnese varia de acordo com a terapia pretendida, pois cada uma tem as suas especificidades e tem que se focar em pontos específicos. No entanto, existem campos comuns na sua grande maioria.
1.      Dados Pessoais - a profissão ajuda o terapeuta a entender a dor do seu paciente, explicando alguns desequilíbrios musculares ou posturais;

2.      Histórico Clínico e Sintomas - Percebe-se porque o paciente procurou esta terapia, o que dói, onde dói, desde quando dói e a intensidade da dor.
A dor e o seu entendimento são relativos e variam de pessoa para pessoa.

2.1.                     Escalas de medição da dor
Existem escalas para medição da intensidade da dor, que deverão estar incluídas na anamnese, e que ajudarão o terapeuta a melhor entender o seu paciente.
- Escala numérica: Sendo o 0 a ausência de dor e o 10 a dor máxima suportável;
 

- Escala visual analógica: Indicando-se um ponto ou vários ao longo do tratamento.
 
 - Escala de Faces

- Escala Corporal: onde deverão ser indicados os locais de dor. Também é utilizada em tratamentos de estética.


Aqui deverão, ainda, estar indicados todos os tratamentos já realizados, sejam convencionais ou alternativos, problemas de saúde e a medicação a que está sujeito. O terapeuta deverá saber quando é necessária uma autorização médica para a realização de determinada terapia.

3.      Análise, programação e registo de tratamentos – Depois de analisada a anamnese deve ser definido um programa de tratamentos, com os objectivos de cada sessão e os seus resultados. O terapeuta deverá solicitar ao paciente que relate os efeitos do tratamento efectuado. 

E é isto... espero que tenham ficado com uma ideia da importância que a ficha clínica tem para qualquer tratamento.

Fiquem bem... :)

Sem comentários:

Enviar um comentário